27 de janeiro de 2016

#MotivaçãoEuTeAmoOuEmagrecer com Natália Graciani

E chegou o dia de mais um depoimento lindo, de uma seguidora super vitoriosa!! <3

A história de hoje é com a Natália Graciani, 28 anos de Volta Redonda/RJ, que eliminou 25kg após passar por diversos "bulling's" e realizar uma aposta com sua mãe, para realizar a tão sonhada cirurgia de redução de mama. A Nati teve diversas motivações dentro de casa, incluindo o seu namorado, que fez até apostas com dinheiro aumentando gradativamente a cada semana. De fato, me emocionei vendo o vídeo dessa danada, pelo simples fato que me fez refletir: "Deus, quem será que foi o anjinho bom que me abriu os olhos para escancarar a minha história de vida e CONSEGUIR motivar milhares de pessoas?!" Sim, eu me sinto muito realizada a cada relato desses que chegam no meu email e de fato, consigo entender como que quando chegamos no "nosso peso esperado", a vida ganha tanta cor, que tudo ao redor flui. Obrigada Nati, por tanto carinho e por dividir conosco a sua história!



"Nesta data estou pesando por volta de 66kg com 1,56m de altura. Minha meta é chegar aos 60kg e a uma porcentagem de gordura próxima dos 20%. Meu objetivo não é ficar musculosa. Quero apenas que a minha referencia seja "tá vendo aquela magrinha ali.." E não a referencia de antes "tá vendo aquela gordinha de saia ali..."
Minha história de "engordamento" é bem parecida com muitas outras histórias. Quando criança não era obesa. Pode-se dizer que eu era uma criança saudável. Até os 15 anos tinha um peso bem aceitável pela idade e a alimentação era boa devido às cobranças de mamãe. Depois que comecei a trabalhar (com 20 anos) sem muito controle do que fazer com o Vale-alimentação que recebia eu fazia dos mais variados lanches todos os dias praticamente. Quando comecei a ver que as roupas começaram a diminuir (rsrs) pensei: Opa, vou pra academia. Devo ter feito umas 2 aulas de spinning e depois nunca mais voltei! E continuei engordando obviamente. Quando eu ja estava com uns 75Kg com uns 22 anos comecei a seguir uma religião que condenava muito a vaidade... Então, prato cheio, literalmente! Aí nessa onda cheguei aos 90kg ainda com as manias de lanche, porém sem o Vale-alimentação o que já estava me levando a falência (rsrs). Depois de chegar aos 90 a próxima façanha foi engravidar. Chegando assim aos 100kg! Mas esse peso da gravidez eu nem conto como peso perdido porque logo depois de minha filhinha nascer eu voltei pros 82kg somente pelo fato de estar amamentando, acredito, e estava me sentindo super bem. Até que por um golpe do destino tive a grande decepção de descobri que meu ex-marido estava me traindo. Com a separação voltei para os 90kg sem força pra viver. A única coisa que me mantinha de pé era minha pequena.

Quase no fim do ano de 2014 eu decidi mudar e emagrecer com o pensamento de mostrar para um cara que eu estava bem melhor do que se estivesse junto com ele. Com esse objetivo de merda, é claro que no primeiro obstáculo eu já desisti. Passei mal com comida japonesa e isso já foi o bastante pra desistir dos 8kg que eu já tinha emagrecido fazendo exercícios em casa e a dieta doa pontos. Quando foi em janeiro a minha mãe me desafiou: Disse que se eu emagrecesse 20kg ela pagaria uma cirurgia de redução de mama para mim. Claro que mais do que depressa eu me animei e recomecei a dieta dos pontos e fazendo atividades físicas em casa e nas academias de rua. Porém eu me burlava. Semana toda fazendo dieta e fds jacava até que eu desisti novamente com o seguinte pensamento: Ah, a cirurgia é só no fim do ano msm, ainda tem tempo pra eu emagrecer. Um belo dia, depois de ter comido muito mal durante o dia (achando que tava fazendo dieta), eu senti uma dor de cabeça muito forte e cai no banheiro da minha casa. Quebrei os dois dentes da frente e fiquei muito abalada por não conseguir entender o que estava acontecendo. Então foi essa a minha gota d'água. A partir daí eu decidi que minha vida iria mudar.
Depois do acidente eu coloquei na minha cabeça que aquilo não teria acontecido se eu estivesse magra. Minha saúde estava em risco se eu não mudasse minhas atitudes. Então recomecei e me matriculei na academia, mas novamente caí no erro de não controlar a alimentação achando que só a academia iria me emagrecer. Na vdd nessa época eu me enganava muito, eu achava que minha alimentação estava sob controle, mas não estava. O máximo que perdi foi 5kg e mta medida (não posso negar que perdi 10cm de cintura). Eu tava transformando massa gorda em massa magra monstruosamente e o meu objetivo é ser leve e não definir músculos. Então parti pra consulta da nutricionista e comecei a conciliar a dieta que ela me passou com a dieta dos pontos. Incluí na minha alimentação diversos alimentos que ajudam no emagrecimento como: Água de coco, óleo de coco, frutas vermelhas, aveia, chia, goji berry, gengibre, chás (verde, hibisco, camomila, cidreira), quinoa, verduras e legumes de todos os tipos. Fazendo 3h de atividades físicas todos os dias e comendo os alimentos certos a cada 3h no fim de dezembro eu já estava pesando 70kg (o peso da aposta com a minha mãe pra ganhar a cirurgia da mama que acabou sendo presente do meu pai). Hj estou com, em torno de 66kg com a meta de chegar aos 60kg com 20% de gordura até o fim do ano. Ah, uma parte muito importante da história: Quando meu namorado viu que eu precisava de um estímulo para começar a seguir os conselhos da nutricionista ele teve uma idéia de gênio. Me desafiou! Disse que se a cada semana eu atingisse uma perda de 1,5% do meu peso ele me daria uma quantia em dinheiro que seria ia aumentando a cada semana. Emagreci e ganhei o desafio, não foi nem tanto pelos 400,00 (que totalizou) foi mais por poder dizer: Eu venci! Ainda estou na luta."







Quer acompanhar a Nati e se motivar cada vez mais?
Se liga nas redes sociais:
Instagram: @eumagraprasempre


E aí, qual a sua desculpa agora para não tentar?! Simbora!! Mande sua história pra gente no email: euteamoouemagrecer@gmail.com 
Contendo foto de antes e depois, nome, idade, redes sociais, resumo por escrito e vídeo de apresentação.



2 comentários: