1 de fevereiro de 2016

Diário de Vida de uma pós bariátrica - 9 anos!


Aos 20 anos, como já contei a vocês em postagens anteriores, recebi um depoimento no antigo Orkut de um amigo de colégio, contando sobre sua experiência com a cirurgia bariátrica e abrindo espaço para conversarmos sobre o assunto, caso eu me interessasse.

Esse menino nem sabe, mas ele foi O responsável por uma das melhores coisas que já me aconteceu na vida! Nunca me preocupei, de fato, em fazer aqueeeeele regime, mas estar acima do peso foi algo que sempre me incomodou. 

Por coisas simples, sabe.. Por querer comprar um short jeans e não conseguir, por me achar diferente das amiguinhas do colégio quando criança, por demorar a namorar por ser sempre considerada apenas linda de rosto, legal e amiga, porém diferente. Isso mexia muito comigo.Balada, amigos e saídas nunca me faltaram. Usava todo tipo de roupa pois, quando não achava, customizava... mas essas nóias sempre iam para a cama comigo no fim do dia.
Consigo dizer que vivi os melhores anos na minha adolescência: praia, viagens, paqueras; mas, posso afirmar que, como mulher, vivo hoje os meus melhores dias.

Me sinto mais realizada, mais forte para enfrentar os desafios da vida. Simplesmente por que considero o maior deles ter sido a vitória contra a obesidade (uma doença, mesmo muitos achando que não).

Pessoalmente, tenho uma luta eterna contra a balança, preciso fazer atividades físicas pra sempre e aprendi a cozinhar receitinhas fit para sobreviver em uma casa de gordinhos. As mudanças foram MUITAS, mas eu consegui!

Ai ouço:

“Eu não uso regata pois acho o meu braço gordinho”, EU USAVA!

“Eu não como doces para não sair da dieta”, eu sempre saia! Rsrsrs

“Eu não vou a festa pois não uso nada com os braços de fora”, eu sempre usei!

“Eu não tomo refrigerantes por que engorda”, eu tomava e só parei agora, com promessa, há 4 meses – Dica essa que você não deve ouvir – rsrsrs

“Eu não vou à praia porque estou acima do peso”, eu ia.. só que mais coberta que mulher de muçulmano.

“Eu não tenho amigos porque estou acima do peso”, isso é coisa da sua cabeça. Amizade não se encontra na balança.


Em resumo, quero mostrar a vocês que dá para viver normal com o peso que você tiver, mas não dá para viver bem se você não se aceitar e ISSO SIM é um problema de vida.
Aceitar-se ou mudar-se é algo que independe de outros, mas sim de você! A minha maior resposta para a vida foi quando EU decidi mudar, quando EU comecei a enxergar que podia ser mais e muito melhor do que já era.

Aceitei me submeter a uma cirurgia de mudança de vida e não de emagrecimento. A gastroplastia não te deixa magro – ela te força a se reeducar e enxergar uma versão melhor de você que, com a obesidade, estomago dilatado e safadeza alimentar (com o perdão da palavra), não dá pra conhecer. 

Sou a prova viva que a cirurgia ajuda, mas não te salva de futuras doenças ou problemas. Se você não se reeducar, engorda! Eu engordei cerca de 9kg depois de 4 anos. Se você não se habituar a realizar atividades físicas, vai sobrar pele a mais onde não deve. Também sou prova viva disse e tive que realizar cirurgias plásticas reparadoras. E acima de tudo, temos que nos cuidar dia após dia, pois a mente sempre vai querer lutar para voltar ao nosso maior peso. Então, costumo dizer que a nossa luta é eterna! 

No hospital, internada após a cirurgia bariátrica – auge dos lindos 115kg!

Um mês depois e já feliz da vida, entrando em um vestido P que ganhei meses antes do procedimento e com já 20kg a menos!


Ápice da perda de peso - 2 anos depois da cirurgia - cerca de 50kg eliminados.

No período que engordei – 4 anos após a cirurgia - recuperei 9kg.

Primeiro dia de academia, já depois que emagreci, engordei e emagreci novamente.

Com o meu menor peso da vida – feliz 58kg!

Um mês após as plásticas, com 60kg.

E hoje, nos meus atuais 63kg – lutando para voltar aos 58kg!

Antes e Depois - atual

E aí, será que a cirurgia bariátrica faz milagres? Será que ser gordo é um problema de vida? Eu superei depois que enxerguei os problemas que me “traumatizavam” e hoje sou OUTRA MULHER. Então o que está faltando para levantar a bunda do sofá e ir lá fazer? Vem comigo!!!











4 comentários:

  1. Me identifiquei com muitos dos teus EU NÃO FAÇO, EU NÃO USO. Estou me recuperando de uma cirurgia de vesícula, aguardando a consulta com o cirurgião para fazer a bariátrica. Que eu também me encontre assim como tu te encontraste, acredito que chega um momento em que a ficha vai e percebemos que é preciso fazer algo. Pela saúde, pela auto estima, pela alegria de viver, nos auto redescobrir.

    ResponderExcluir
  2. Me identifiquei com muitos dos teus EU NÃO FAÇO, EU NÃO USO. Estou me recuperando de uma cirurgia de vesícula, aguardando a consulta com o cirurgião para fazer a bariátrica. Que eu também me encontre assim como tu te encontraste, acredito que chega um momento em que a ficha vai e percebemos que é preciso fazer algo. Pela saúde, pela auto estima, pela alegria de viver, nos auto redescobrir.

    ResponderExcluir
  3. Muito boa sua estória..vc realmente fala a verdade....fiz uma bariatrica a 18 dias...sleeve...estou com medo de não conseguir.....a luta é grande.....mais vou lutar...minha saúde está em jogo....tenho medo de fracassar tinha 120 quilos emagreci apenas 9 quilos....quero voltar para a academia mas somente com 30 dias....minha equipe multidisciplinar é ótima mas sei que só depende de mim........

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu relato, estou na reta final do pre operatorio, mas estou me sentindo insegura, com medo, li um monte de coisas negativas e agora foquei na boas coisa e me identifiquei com coisas que vc disse. Obrigada

    ResponderExcluir