24 de maio de 2016

Vamos falar como tudo começou e o método de cirurgia bariátrica que escolhi?



Há alguns anos, recebi alguns depoimentos no antigo Orkut de um então, apenas conhecido, me falando sobre a experiência dele na bariátrica e emagrecimento e sabe o que eu achei? Um email com o texto copiado, leiam que fofo:

Carlos: Oi Danielle, a gente eu acho que nunca se falou, mas estudávamos na mesma época e serie, só que em turmas diferentes.. vamo la direto pro assunto... sempre que te vejo no orkut (depois que fiz minha cirurgia do estomago) eu fico pensando pq tu ainda não fez... vc é uma pessoa muito bonita e isso ninguém pode negar, sei que é chato, vc pode ate não gostar desse depoimento (favor n aceitar CLARO!), mais depois que fiz minha cirurgia fico querendo ajudar todo mundo! foi a melhor coisa que ja fiz em toda minha vida, procurei o médico por indicação no dia 01/10/2007 e no dia 21/11/2007 ja estava na sala de cirurgia, fiz pela Unimed Recife, a cirurgia foi por video-laparoscopia que não precisa abrir vc, apenas 4 furinhos insignificantes para o sucesso que é essa cirurgia, ai eu fico naquela de querer ajudar e tal

Carlos: sei o quanto é xato ser "gordinho" ser alvo de brincadeiras e tantas outras coisas xatas que parece que so acontece com agente... se tu tiver a intenção de algum dia fazer essa cirurgia ou tiver alguma duvida posso te ajudar (mania minha) qualquer coisa pode me add no msn, lunguinhaa@hotmail.com, fica com Deus, bjus.

Carlos: ah, ja ia eskecendo.. no dia da cirurgia eu estava com 131 kg para 1,75 de altura.. hj 8 meses depois ja eliminei 54kg e atualmente estou com 77kg e perdendo peso ainda, so que agora aos poucos...meu peso ideal esta entre 65 e 75 kilos, faltam 2kg apenas, vale apena! Bjus

Vocês não fazem ideia do que aconteceu neste dia e do quanto este menino me ajudou a dar o pontapé inicial e mudar de vida! Pois bem, passamos uma noite de bate papo no antigo msn e na manhã seguinte marquei uma consulta com o Dr. João Evangelista, o médico que me operou. Em cerca de 40 dias eu já estava na sala de cirurgia, passada por todos os procedimentos necessários, sendo psicóloga, endócrino, cardiologista e todos os outros solicitados. E diante do meu sobrepeso e IMC de 47, o método escolhido para a cirurgia bariátrica foi o Bypass Gástrico em Y de ROUX (Cirurgia de Capella ou Fobi- Capella) por videolaparoscopia, pois além de eu  não me enxergar obesa, jamais aceitaria mais de 10cm de cicatriz no meu corpo. 



Fiz uma breve pesquisa no Tio Google e vou passar mais informações para vocês!!

1- O que é o Bypass gástrico?
Bypass gástrico é a cirurgia de redução de estômago mais frequentemente realizada no Brasil, sendo conhecida também como Derivação gástrica em Y deRoux ou cirurgia de Fobi-Capella.
O alimento ingerido irá assim percorrer 100 a 150 cm de jejuno (alça alimentar – Figura 1) para então receber as secreções digestivas vindas do restante do estômago, fígado e pâncreas (alça biliopancreática Figura 1), na ligação entre a alça alimentar e a alça biliopancreática, chamada enteroanastomose.
A partir daí, há mais 3 ou 4 metros de intestino pela frente, aonde ocorrerá a absorção de alimentos (alça comum). Não é retirado nenhum pedaço de intestino. Pode ser realizada por vídeo-laparoscopia (pequenos cortes, com auxílio de vídeo) ou por laparotomia (corte grande). Deixamos rotineiramente um dreno (tubo de silicone) com o qual o paciente vai para casa, que é retirado após 7 dias.

2- Como é realizada esta cirurgia? 
Nessa cirurgia, o estômago é reduzido a um tamanho aproximado de 30 -40 ml, por meio da utilização de instrumentos chamados grampeadores cirúrgicos. Em seguida, o estômago reduzido é ligado diretamente ao intestino delgado (jejuno).

3- Quais são as vantagens e desvantagens desta cirurgia?
As maiores vantagens dessa cirurgia estão na boa perda de peso (35 a 40% em média) e na boa manutenção do peso ao longo dos anos, na grande melhora na saciedade ( o paciente sente menos fome) e no bom controle do diabetes, nos pacientes acometidos desta afecção. As desvantagens estão no fato de ser este um procedimento irreversível, na necessidade do uso de suplementos vitamínicos para o resto da vida e na possibilidade de reganho de peso a longo prazo, em particular nos pacientes comedores de doce ou carboidratos em excesso, beliscadores e naqueles muito sedentários.

4- Como é o pós-operatório? 
No dia seguinte pela manhã liberamos água, chá e caldos para o paciente beber conforme orientação passada previamente por nossa nutricionista.
Na maioria dos casos o paciente recebe alta hospitalar após 48 horas da cirurgia, com as orientações de dieta passadas pela nutricionista. Retorna ao consultório para retirada dos pontos e do dreno entre o 6º e 8º dia de pós-operatório.

5- Quais as possíveis complicações nesse tipo de cirurgia? 
Complicações clínicas (cardíacas, pulmonares, renais) podem ocorrer após qualquer tipo de cirurgia, sendo mais frequentes após cirurgias de alta complexidade e em pacientes portadores de doenças crônicas predisponentes.
O Bypass é uma cirurgia de alta complexidade e os pacientes são submetidos a avaliação clínica rigorosa no pré-operatório para diagnosticar e controlar condições pré-existentes.
As complicações cirúrgicas imediatas mais graves são o sangramento e a infecção. A infecção pós-operatória decorre geralmente de uma “fistula” ou vazamento do conteúdo gástrico ou intestinal por entre os grampos ou pelo local de costura do estômago ou do intestino. Pode levar a infecção grave e deve ser tratada precocemente, assim que se fizer o diagnóstico.
A incidência desse tipo de complicação atualmente é baixa (menos de 1%), dada a experiência adquirida com o método e a evolução dos grampeadores cirúrgicos. Embora pouco frequente, essa complicação pode levar ao óbito caso o diagnóstico seja feito tardiamente e/ou o paciente não responda às medidas terapêuticas adotadas.
As complicações tardias estão mais relacionadas a aspectos nutricionais. O desvio intestinal dificulta a absorção de alguns micronutrientes (ferro, cálcio, zinco, etc.) e algumas vitaminas (B12, B1, D). Por esta razão, pacientes submetidos a este método devem fazer uso regular de suplementos vitamínicos e minerais, além de realizar exames laboratoriais com certa frequência, para dosagem desses elementos.
Outra possível complicação tardia, que pode ocorrer em qualquer tipo de cirurgia em que se manipula o intestino, é a formação de aderências que eventualmente (incidência rara) podem predispor a ocorrência de obstrução intestinal, o que requer tratamento cirúrgico..


Eis que o procedimento finalizou, eu estava inflada no hospital - para o meu desespero a cirurgia por vídeo faz isso - e por ser bem falante, cheia de gases.

Já no pós operatório, de sonda, cinta, enorme de gorda, comecei a sentir febres, dores no corpo e diarreia e foi dada a largada a milhares e milhares de exames... Será que vocês querem saber o final da história? O que eu passei para chegar até aqui? Ouço muito por aí que com cirurgia é fácil.. Eis que se passaram 9 anos e tenho 55kg perdidos e jogados pela sargeta, para nunca mais encontrar. rsrsrsrs


E aí, como será que eu consegui este  MILAGRE, chamado de emagrecer?



Então, assim com alguém me ajudou um dia, é o que eu tento fazer com vocês, passar uma experiência que deu certo comigo, para motivar mais e mais pessoas! <3

2 comentários:

  1. Tem outro tipo de cirurgia ? Estou querendo fazer tbm. Mas essa me parece tão arriscada...
    Parabéns pela coragem. Vc Ta linda !
    Sou Valquiria e moro em Barauna RN.
    To criando coragem pra realizar esse desafio.
    Beijos e obrigada por compartilhar comigo.

    ResponderExcluir
  2. Tem outro tipo de cirurgia ? Estou querendo fazer tbm. Mas essa me parece tão arriscada...
    Parabéns pela coragem. Vc Ta linda !
    Sou Valquiria e moro em Barauna RN.
    To criando coragem pra realizar esse desafio.
    Beijos e obrigada por compartilhar comigo.

    ResponderExcluir