20 de fevereiro de 2017

Obesidade e a construção de um cuidado - por Raquel Queiroz


Hello, meus amores!! Estou buscando informações de profissionais para trocar com vocês sempre ligadas ao tema saúde e emagrecimento e hoje, vamos falar um pouco sobre a obesidade e a construção de um cuidado, pela visão de uma psicóloga. 

"Para muitas pessoas, emagrecer torna-se uma tarefa complexa, uma vez que tal processo é permeado por diversos fatores: psicológicos, culturais, orgânicos, familiares. Diante desta gama de elementos, para que os tratamentos tenham maiores chances de êxito, faz-se necessário o entendimento acerca de cada paciente, através de um trabalho multidisciplinar, para obter um diagnóstico singular.
Diversos autores salientam a importância do acompanhamento fisiológico do paciente para a redução de peso. Para Bernardi, Cichelero e Vitolo (2005), pessoas que investem apenas na reeducação alimentar podem perder o peso necessário. No entanto, muitos desses indivíduos podem recuperar o peso dentro de um curto período de tempo. Eis que surge o desafio: descobrir o que leva o sujeito a retornar ao excesso de peso.
Os aspectos emocionais podem também levar à não realização de exercícios físicos ou à sua interrupção. Por esse motivo, é de suma importância entender como os sujeitos se sentem, como se veem, como foi a sua história e como podem utilizar seus corpos para, a partir da compreensão dessa subjetividade, construir um caminho de cuidado com o paciente (CONEJO, 2009): “Quais são as emoções e expectativas que produzem e mantém esses comportamentos alimentares?”.
Diante disso, Burd (2004) nos mostra a importância de entender a psicodinâmica do paciente, os mecanismos de defesa mais utilizados, a estrutura de personalidade e a capacidade de lidar com as mudanças, uma vez que emagrecer “pode significar perder um tipo de proteção que, apesar de ilusório, era um tipo de amparo [...] E, ainda, pode [...] fazer com que processos que visam a uma melhor condição de saúde fracassem” (CONEJO, 2009, p. 56)."

Referências 
BERNARDI, F.; CICHELERO, C.; VITOLO, M. R. Comportamento de restrição alimentar e obesidade. Revista de Nutrição, Campinas, v.18, n.1, 2005.

BURD, M. Obesidade e família. In: MELLO FILHO, J.; BURD, M. (Org.). Doença e família. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004. p. 299-310.

CONEJO, S. Homem e obesidade-excesso e faltas: corpos que contam histórias. Diss. Universidade de São Paulo, 2009.


-Raquel de Queiroz é psicóloga e mestre em Psicopatologia Fundamental e Psicanálise pela Universidade Católica de Pernambuco. Atende em Boa Viagem. Fone: (081) 9.9699-2188

E aí, gostaram? Deixem seus relatos nos comentários e mais sugestões de temas para que possamos abordar por aqui pelo blog!! Beijinhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário